Beleza GG: E! Entertainment Television anuncia data de estreia da segunda temporada de reality show sobre moda plus size

Depois da primeira temporada de Beleza GG fazer sucesso no Brasil, México, Argentina, Chile e atingir mais de 49,5 milhões de domicílios por toda América Latina, o reality show do E! Entertainment Television já tem data para estreia da segunda temporada: 14 de janeiro de 2021, às 22h.

Na manhã da última terça-feira (17/11), o canal por assinatura organizou uma coletiva de imprensa virtual para apresentar as novidades da segunda temporada. A jornalista Carolina Mello, do blog Calcinha Rosa-Choque, participou do evento online para narrar aqui tudo que rolou por lá.

Saiba tudo sobre a segunda temporada do reality show Beleza GG, do E! Entertainment Television:

O encontro virtual contou com a participação das modelos Fluvia Lacerda e Mayara Russi, que brilharam na primeira temporada, e também de uma das novas integrantes, a Nahuane Drummond, modelo curve paulistana radicada em Londres que é agenciada pela Ford Models que acaba de voltar para o Brasil.

Nesta temporada, o público acompanhará a rotina corrida de Mayara e o caminho que ela pretende trilhar para conquistar carreira internacional, o processo de Fluvia para desenvolver e lançar uma linha plus size Moda Praia para inovar e quebrar preconceitos e a volta de Nahuane para o mercado nacional.

Nahuane também estará incumbida de transmitir conhecimentos para a quarta integrante, que será revelada somente no segundo episódio do programa, após ser escolhida entre mais de mil inscritas em um casting da Ford Models Curve, braço da renomada agência Ford Models, uma das mais importantes do mundo.

Além das novas integrantes, a segunda temporada de Beleza GG ganhou uma nova abertura ao som de Alma Thomas, cantora nova-iorquina que mora no Rio de Janeiro e que ficou conhecida após participar do The Voice Brasil.

A canção “Chosen Big Beauty”, da Alma Thomas, carrega a essência do Beleza GG, que veio para mostrar que há espaço para todos os corpos e tipos de beleza, não só no mundo da moda, mas na sociedade como um todo. Para a cantora, essa música enaltece as mulheres, que assim como ela, fogem dos estereótipos de beleza.

Outra novidade é que, a partir de janeiro de 2021, o Beleza GG será transmitido simultaneamente no Brasil e em todos os outros países latinos onde o programa atingiu recordes de audiência.

Durante a coletiva de imprensa, Fluvia, Mayara e Nahuane manifestaram opiniões sobre relação com a família, representatividade, mercado plus size e gordofobia. Veja abaixo algumas frases que pinçamos:

“Assim que contei sobre minha participação, minha mãe chorou de emoção e pareceu mais feliz do que eu. Além disso, toda minha família me apoiou. Acho até que foi mais difícil para mim do que para minha família”, Nahuane Drumond sobre a reação da família ao descobrir que ela participaria do reality show Beleza GG.

“Quando fui convidada para participar da primeira temporada de Beleza GG a primeira pergunta que ela me fez foi se ela também apareceria no vídeo. Choramos muito, pois desde os meus 16 anos eu sonho em estar na TV”, Mayara Russi sobre a reação da família ao descobrir que ela participaria do reality-show.

Mayara Russi (Crédito: Divulgação/E! Entertainment Television)

“Se eu tivesse alguém para me inspirar durante minha adolescência eu teria sofrido menos. É muito gratificante receber mensagens de outras mulheres me agradecendo por eu ajudar elas a lidarem com a gordofobia. Teve uma vez que recebi mensagem de uma mulher de 40 anos que não conhecia a praia porque tinha medo do que as outras pessoas fossem pensar do corpo dela. Ao me ver de biquíni na primeira temporada de Beleza GG ela tomou coragem para enfrentar isso”, Mayara Russi sobre representatividade.

“É muito gratificante saber que através da minha influência eu posso ajudar outras mulheres a se olharem, se entenderem, se abraçarem e cuidarem de si mesmas”, Fluvia Lacerda sobre representatividade.

“Eu sempre ouvi que devia emagrecer ou que eu tinha um rosto bonito e só faltava emagrecer. Nessa época, eu não tinha uma referência para entender que não havia nada de errado com meu corpo. Hoje eu vejo que me tornei essa referência para outras mulheres, principalmente as mais jovens. É muito gratificante saber que consigo ajudar elas”, Nahuane Drummond sobre representatividade.

Fluvia Lacerda (Crédito da foto: Divulgação/E! Entertainment Television)

“Nunca tive problema como o termo ‘plus size’, que significa mulher que usa roupas do tamanho GG. Ser gorda não é pejorativo! Não vejo nenhum problema em ser chamada de modelo plus size”, Fluvia Lacerda sobre o termo plus size.

“Quando comecei minha carreira, aos 15 anos, eu percebia que as pessoas me olhavam estranho quando eu me apresentava como modelo. Elas me olhavam com uma cara que parecia dizer “modelo da onde?”. Foi somente com o passar do tempo do que as pessoas tiveram acesso ao conhecimento e entenderam que existe também a moda plus size”, Mayara Russi sobre enfrentamento de preconceitos.

“Caminhamos a lentos passos em relação a diversidade e qualidade de roupas para mulheres plus size. Fico muito incomodada com essa falta de diversidade de roupas”, Fluvia Lacerda sobre o mercado plus size brasileiro.

Nahuane Drumond (Crédito: Divulgação/E! Entertainment Television)

“Para muitas jovens, a moda plus size é um ‘moda velha”, pois parece que o mercado brasileiro não entende que também gostaríamos de usar as mesmas roupas legais que só são feitas para magras”, Nahuane Drumond sobre o mercado plus size brasileiro.

*****

Gostou deste conteúdo? Então dá uma força ao blog Calcinha Rosa-Choque: compartilhe nossos posts com suas amigas ou siga nossos perfis nas redes sociais.

Pinterest

Twitter

Instagram

Facebook

Deixe uma resposta